“When I look into the future, it’s so bright it burns my eyes.” Oprah Winfrey

Estou sempre em movimento, e acredito que nada possa me definir mais do que isso… Gosto de conhecer, experimentar coisas novas, e desde infância me esforço para entender e descobrir como as coisas funcionam ou foram feitas. Isso moldou parte do que sou hoje, me tornando um pouco curioso sobre o mundo ao redor, e também me convertendo em um criador.

Trabalho com tecnologia desde 2011, apesar de ser entusiasta da mesma desde muito antes disso. Tendo contato com computadores desde muito novo, foi quando comecei a observar o quanto a tecnlogia em geral foi (e ainda vai) tornando-se mais e mais dependente na vida das pessoas, seja em celulares, computadores, eletroportáteis, e etc.

Não é novidade alguma para quem me conhece o quanto eu amo cada novo device e inovação que toco, mas mais do que isso, eu queria também estar do outro lado, ajudando a construir, fazer e realizar algo capaz de impactar a vida de diversas pessoas, e estudar e trabalhar com TI para mim definitivamente era o inicio deste caminho.

Escrevo este texto em 2017, ou seja faz seis anos (este ano) que estou envolvido com o mercado de TI, ou para ser mais claro neste ponto, seis anos desde que eu consegui começar a ganhar dinheiro trabalhando diretamente com computadore. Aprendi muita coisa neste meio tempo, trabalhei com muitas coisas variadas, criação de conteúdo, desenvolvimento de sites, desenvolvimento de aplicativos, produção de vídeos, pós produção de imagem, marketing para franquias, marketing digital, instalação e administração de sevidores, VOIP, consultoria em TI, cheguei até a lecionar em uma pequena escola… Faço uma pausa e olho para trás sobre tudo em que me envolvi, tudo com o que trabalhei, as pessoas que conheci e tudo que aprendi, e fico claramente orgulhoso.

Mas se alguém perguntar o que eu quero da minha carreira agora? O que eu quero para o meu futuro? O que eu toparia fazer novamente depois desse breve amadurecimento que tive, e o que eu não faria novamente de forma alguma?

Apenas consegui responder essas perguntas para mim mesmo, depois que entendi que minha vida agora se segmenta em duas fases, aquilo que me levou a traçar esse caminho, e aquilo que me atualmente me faz levantar da cama todas as manhãs. Hoje tenho ciência que aprendi muita coisa, e tenho uma mala muito grande de conhecimentos, mais ainda que isso: se aprendi o que aprendi até aqui, é porque sou curioso e me esforço para consumir e aplicar todas essas coisas. Querer demais de tudo definitivamente é uma caracteristica minha, quando enxergo algo que gosto fico absorvendo cada detalhe daquilo e do ambiente em que está inserido, se for o caso começo também a me indagar sobre como funciona, como foi criado, porque alguém criou aquilo daquele jeito e de que forma, que habilidades e componentes eu poderia combinar para chegar em deteminado resultado?

Como falei sobre fases, a primeira é o que descrevi no inicio, que nada mais é o que eu vivi até aqui, eu aprendi muito (e ainda tem muito mais para aprender), mas agora é o meu momento de viver a segunda, tudo que eu aprendi foi com o intuito de construir coisas usando estas habilidades, eu queria criar um site e não sabia html, logo eu aprendi, eu queria construir um app para desktop, dei um jeito de aprender Java e Swing, comecei a programar, mas sentia que minhas interfaces eram horríveis, estudei design. Não nego que continuarei estudando, diariamente ainda estudo programação (tenho explorado muito frameworks baseados em node ultimamente) e idiomas (japonês, alemão, e inglês), mas é o meu momento de construir. Tive empregos, projetos e experiências muito legais, mas nem tudo é garantia de felicidade na vida, não sinto que ainda me encontrei, e enquanto não me encontrar em algum lugar, vou usar toda essa bagagem que investi nos outros sem um retorno considerável e criar algo que possa me agregar valor.

Do mais, como pessoa sou muito comunicativo, e gosto de conhecer gente nova, passe na sessão de contato, me encontre nas redes sociais, ou me chame para um café :)

Eu adoro café, com bastante açucar.. rs